É típico deste bairro localizado entre o distrito de e o Ribeira, melhor que você tenha ido pela jusante da catedral em direção ao rio, pois são algumas ruas estreitas com grandes declives e escadas, do qual há uma bela vista do rio e telhados, preserva o sabor de uma antiga aldeia com roupas penduradas ao ar livre.

 

A história e a arquitetura do Barredo... para melhor entender a Ribeira.

 
 
 
Na semana passada tive o privilégio de acompanhar um Passeio Cultural com o arquiteto da Câmara Municipal do Porto, António Moura que iria falar sobre o Barredo no pós 25 de Abril de 1974. 

Para quem não vive no Porto, vale explicar que o Barredo é a zona interior da Ribeira, ou seja uma área basicamente residencial que fica por trás daquele colorido casario que todos admiramos quando estamos na margem do rio Douro.
O Barredo, é uma das minhas zonas preferidas do Porto. Adoro andar por lá a admirar as casas tão antigas, coloridas, ver os locais , subir e descer as escadas, ouvir vozes dentro das casas, sentir o cheiro das comidas vindo lá de dentro. É um dos lugares onde o Porto é Porto mesmo.

O arquiteto António Moura foi quem esteve a frente do  CRUARB (Comissariado da Reabilitação Urbana da Área da Ribeira-Barredo) -  foi criado em Setembro de 1974 (pós-ditadura) e extinto em 2003.

O seu trabalho foi decisivo para que em 1996, o Porto fosse considerado Património Histórico da Humanidade.
O rio Douro era antes da criação do Porto de Leixões, um grande canal de movimentação de barcos de mercadorias que chegavam ou iam em direção ao mar ou ao Norte de Portugal.

A vida na Ribeira era  agitada, mercantil e era por onde tudo se passava.
Com a chegada do Porto de Leixões em Matosinhos, nos finais do séc. XIX, todo esse movimento foi para lá transferido, inclusive as pessoas que viviam na Ribeira também foram para perto do Porto de Leixões, ou para outras zonas da cidade do Porto. Eram mercadores, comerciantes, pescadores.

A Ribeira ficou... vazia.
Alguns casos de sub locação eram feitos para pessoas que vinham, nomeadamente da região do Minho, a procura de trabalho no Porto e foram viver na Ribeira.
O certo é que com o passar dos anos a Ribeira ficou muito degrada.

A primeira parte deste Passeio Cultural, foi uma verdadeira viagem no tempo, através de fotografias apresentadas pelo arquiteto António Moura, que mostravam uma Ribeira de muito tempo atrás...