Mina mais espetacular para visitar no Alentejo fica a 1 hora de Lisboa

Mina mais espetacular para visitar no Alentejo fica a 1 hora de Lisboa

A Mina do Lousal ou Louzal no original e a respectiva aldeia mineira correspondem a um antigo couto mineiro explorado desde o final do século XIX. Localiza-se na freguesia de Azinheira dos Barros e São Mamede do Sádão, concelho de Grândola, distrito de Setúbal, Portugal.

A mina tinha ligação, desde 1915, ao designado Ramal do Sado, actual Linha do Sul.

Centro Ciência Viva do Lousal - Mina de Ciência

Ciência e Conhecimento

O Centro de Ciência viva do Lousal está instalado num edifício outrora associado à atividade mineira, onde funcionavam o Gabinete de Geologia, o Armazém do Óleo, a Casa do Ponto, a Casa das Lanternas, a Casa dos Equipamentos de Trabalho e o Balneário. 

 

 


Este complexo mineiro que esteve ativo entre 1934 e 1992, passou desde 2001 a desempenhar uma função exclusivamente museológica no âmbito da arqueologia industrial, tendo sofrido algumas adaptações para funcionar como espaço de divulgação da cultura científica e tecnológica, dispondo hoje de áreas expositivas e módulos interativos, a gruta virtual, um laboratório, um experimentarium, um cybercafé, um auditório, espaços lúdicos e um miradouro

 

 

Embora a região tenha sido povoada desde a Idade do Cobre, como atestam os monumentos megalíticos e o Castelo Velho do Lousal, é no final do século XIX que se inicia a moderna exploração da mina.

 

 

Durante a década de 1940 a aquisição das Mines et Industrie e da Minas da Caveira por Antoine Velge, presidente da SAPEC de Setúbal, empresa de fabricação da adubos químicos, conduz ao incremento dos trabalhos mineiros

 

 

É durante os anos 1950, sob a direcção de Frédéric Velge e Günter Strauss que esta mina de pirite se vai tornar numa das mais modernas de Portugal

 

Com a crise da produção industrial de enxofre, devido à retirada gratuita do enxofre nas plataformas de petróleo, nos anos oitenta, as minas da faixa piritosa vão sucessivamente encerrando. Em 1988, foi encerrada a extracção no Lousal.

Com o encerramento da mina a aldeia entra em decadência até que, no início dos anos noventa, a Câmara Municipal de Grândola e a Fundação Frédéric Velge iniciam um programa de revitalização do Lousal (RELOUSAL). O programa tem por base a criação de uma nova espacialização territorial assente no turismo cultural, com reforço da identidade mineira, destacando-se o Museu Mineiro do Lousal e o Centro Ciência Viva do Lousal.

 

 







O que visitar e conhecer em Portugal

Os 15 melhores pontos turisticos para conhecer e visitar em Coimbra

Os 15 melhores pontos turisticos para conhecer e visitar em Coimbra

Mosteiro de LorvoO Mosteiro de Santa Maria de Lorvão ou simplesmente Mosteiro do Lorvão localiza-se na freguesia de Lorvão, concelho de Penacova, distrito de Coimbra, em Portugal. Foi um importante mosteiro e centro de produção de manuscritos iluminados no século XII, servindo depois como mosteiro feminino...
Os 9 melhores locais para visitar em Monumentos na Guarda

Os 9 melhores locais para visitar em Monumentos na Guarda

Castelo de AlmeidaO Castelo de Almeida localiza-se na vila, freguesia e concelho de mesmo nome, no distrito da Guarda, em Portugal. Mais importante, porém, é o papel que Almeida desempenhou na defesa militar da fronteira desde os primeiros anos da independência de Portugal. Palco de lutas entre castelhanos e portugueses, ...
O que visitar em Bragança os 7 melhores locais

O que visitar em Bragança os 7 melhores locais

Castelo de BraganaO Castelo de Bragança localiza-se na freguesia de Santa Maria, no centro histórico da cidade, concelho e distrito de Bragança, em Portugal. Em Trás-os-Montes, no extremo nordeste do paí­s, à margem do rio Fervença, é um dos mais importantes e bem preservados castelos po...
O que fazer em Lisboa os 10 melhores sitios para visitar na cidade

O que fazer em Lisboa os 10 melhores sitios para visitar na cidade

Palcio dos Marqueses de Fronteira LisboaO Palácio Fronteira, situado em Lisboa, foi construí­do entre 1671 e 1672, como pavilhão de caça para João Mascarenhas, 1.º Marquês de Fronteira. Apesar de alguns prédios altos serem visí­veis à distância, continua a ocupar um ...