Antiga Vila, junto à margem esquerda do Zêzere, à beira do IC8, está a poucos quilómetros de Pedrógão Grande e da Barragem do Cabril. Do seu património destacam-se a Igreja Matriz e a Ponte Filipina sobre o Zêzere. Em terras do xisto há um Pedrógão – afloramento de granito – que deu pedra para cantarias de portas e janelas, embora o xisto seja o material de construção predominante.

 

Em Pedrógão Pequeno o xisto esconde-se sob rebocos alvos. Quando a banda filarmónica ali vem tocar, as ruas enchem-se e vem à memória a década de 50, época em que chegaram à aldeia os trabalhadores que construíram a Barragem do Cabril. Para descobrir a vista do alto do Monte da Senhora da Confiança e a velha estrada que, sobre uma antiga ponte Filipina, nos leva ao Zêzere. É obrigatório provar a sopa de peixe.

 

Sólidas, pesadas, de volumes simples e paredes espessas, as construções populares de Pedrógão Pequeno denotam uma relação íntima com o campo que tem resistido à passagem do tempo. As casas particulares da vila contam as histórias de quem ali viveu e vão ganhando protagonismo à medida que os anos lhes emprestam antiguidade. É outra das “aldeias brancas” da rede das Aldeias do Xisto.

 

Pedrógão Pequeno encerra tesouros arqueológicos que apetece explorar: um troço de calçada romana que conduzia a um ramal de acesso a um castro da Idade do Ferro; uma muralha castreja plena de vestígios ainda por estudar; um conjunto de estelas discóides que podem representar a crença na vida além-túmulo.

 

Com um património riquíssimo, Pedrogão Pequeno tem muito para ver neste campo: via romana, ponte filipina do Cabril, pelourinho, edifícios particulares de séculos distintos, Cantina Escolar Manuel Ramos, antigo Hospital da Misericórdia, Ponte do Ribeiro, diversas capelas, entre outros pontos de interesse.

Ainda merecem destaque:

  • Ponte Filipina
  • Pelourinho
  • Edifício da Junta de Freguesia
  • Igreja Matriz
  • Capela da Misericórdia
  • Edifícios particulares dos séc.s XV e XVI
    Essencialmente caracterizadas por as portas e janelas apresentarem vãos arredondados ou chanfrados.
  • Edifícios particulares dos séc.s XVII e XVIII
  • Edifícios particulares de finais do séc. XIX e o início do séc. XX
    Estes edifícios testemunham um outro apogeu da povoação, já depois de ter deixado de ser sede de concelho.
  • Antigo Hospital da Misericórdia
    Foi o antigo hospital da Santa Casa da Misericórdia de Pedrógão Pequeno. Naquela época, marcada por uma profunda religiosidade cristã, a assistência aos mais necessitados era efectuada pelas instituições religiosas (ex: mosteiros) ou por instituições fundadas por particulares abastados que se agregavam em instituições (ex: Misericórdias) e que procuravam, através destas obras pias, assegurar a sua salvação eterna. O edifício com funcionamento hospitalar passou posteriormente para a esfera pública. Actualmente encontra-se em estado de ruína.
  • Ponte do Ribeiro
    Junto à EN2. É uma ponte de um só arco abatido mas levemente subido ao centro.
  • Estrada do Cabril
    Construída em 1860, permitiu um melhor acesso à ponte filipina.
  • Escola Primária
    Edifício escolar do séc. XIX de linhas singulares, em estilo neoclássico, a que não falta larga escadaria de acesso. No frontão destaque para um medalhão com a inscrição "ESCOLA EDUARDO CONCEIÇÃO SILVA LEGADA EM 26 DE NOVEMBRO DE 1883 Á INFÂNCIA D’ESTA SUA TERRA NATAL 1888". Na porta de entrada, trabalho em ferro com a data 1887.
  • Cantina Escolar Manuel Ramos
    Edifício característico do denominado "Plano das Construções" lançado pelo Estado Novo em 1940 com o objectivo de construir todos os estabelecimentos de ensino primário necessários à "instrução do Povo Português". Em 1941 o Plano estabeleceu como objectivo a construção de 6060 edifícios e um total de 12500 salas de aula. Certo é que até ao final de 1950 foram construídas 7000 novas escolas por todo o País. As escolas do Plano das Construções tornaram-se numa imagem de marca de Portugal.
  • Capela de Santo António
    Já existia em 1730. Restaurada em 1950. Pequena capela de planta rectangular, implantada sobre um afloramento rochoso.
  • Capela de São Sebastião
    De construção anterior a 1730, serviu como capela do antigo cemitério até 1892. Segundo referências antigas, teria um alpendre. Em 1918 recebeu obras custeadas pela família Vidigal, que aqui realizava as cerimónias de casamento e baptizado dos seus membros.
  • Capela de Santa Maria Madalena
    Mandada edificar pela família Conceição e Silva em 1893. Frontaria orientada a poente. Portal simples, com arco de volta inteira. O topo da fachada é decorado com dois pináculos e com uma cruz assente sobre esfera encaixada em base trabalhada com 4 volutas. No altar um nicho aloja a imagem de Stª Maria Madalena.
  • Alminha do Cabril
    Pequeno nicho no qual se aloja uma tábua pintada com representação das almas no Purgatório, que contém a inscrição:
    "Pelas alminhas do Purgatório. Padre Nosso. Avé Maria"
    Ao lado uma lápide em granito gravada com a inscrição:
    Ó.UÓS.OUTR
    OS.q.PASAIS.S
    EM.OLHARES.Pª
    NOS.LEMBRAIUO
    S.DE.NOSAS.PENAS
    ASSIM.SEREIS.UOS.1861
    "Ó vós outros que passais sem olhar para nós. Lembrai-vos das nossas penas que assim sereis vós".
  • Via sacra
    O circuito das 14 estações encontra-se estabelecido entre o centro da aldeia e o topo do Monte da Srª da Confiança. A Estação I encontra-se na confluência da Rua Eduardo Conceição e Silva com a Praça Ângelo Henriques Vidigal. Possui uma cruz, mas não se encontra datada. A Estação II está na Praça Ângelo Henriques Vidigal. Está datada de 25.08.1865. A Estação III está na EN2, possui cruz, mas não está datada. As restantes estações encontram-se depois do atravessamento da Ponte do Ribeiro, a caminho da Capela de Nª Srª da Confiança. Todas as estações possuem representação da respectiva cena da via sacra em moderno painel de azulejos.
  • Capela de Nossa Senhora da Confiança
    O templo actual sucedeu a outro mais antigo. A frontaria orientada a sul, para Pedrógão Pequeno, ostentando a inscrição "CAPELLA DE NOSSA SENHORA DA CONFIANÇA MANDADA ERIGIR, NO ANNO DE 1902 PELA FAMÍLIA CONCEIÇÃO E SILVA". No interior uma só nave e arco cruzeiro ladeado por dois altares.