Escondendo-se na Beira Litoral entre as cidades de Aveiro e Coimbra fica a cidade de Cantanhede. Desde a pré-história houve pedreiras em Cantanhede, explorando costuras ricas de calcário de alta qualidade. Há um museu sobre essa pedra no centro da cidade, em um dos palácios sofisticados do século XVI.

No século XVII, o 1º Marquês de Marialva deixou sua assinatura na Cantanhede, comissionando o que viria a ser a prefeitura e a igreja que agora abriga seu túmulo. Ele era um membro da família Menenses, cujo panteão fica em uma das capelas da igreja paroquial de Cantanhede. O município mais amplo é extenso e tem um trecho da costa, lar da adorável vila de pescadores de Tocha.

Vamos explorar as melhores coisas para fazer em Cantanhede :

1. Museu da Pedra

 

Em um palácio restaurado do século XVIII com uma bela loggia, o museu de pedra de Cantanhede tem todos os fatos sobre a herança da pedreira de Cantanhede.

A cidade tem fornecido calcário por tanto tempo que até mesmo seu nome vem da palavra celta "Cant", que significa "pedra grande". O museu se aproxima de pedras de alguns ângulos: há fascinantes fósseis paleontológicos descobertos nas pedreiras da cidade e estátuas desenterradas em locais romanos.

Mais recentes são as magistrais estátuas renascentistas que costumavam adornar o interior de igrejas e conventos.

Há também uma exposição de todas as ferramentas usadas para extrair e moldar o calcário em diferentes períodos.

2. Praia da Tocha

Tocha é uma vila de pescadores que abraçou o turismo no final dos anos 1900.

Nunca perdeu sua essência da velha escola e acaba de comemorar 25 bandeiras azuis consecutivas.

Há uma grade de ruas ao lado das dunas, ladeada por pequenas casas de prancha.

Na maioria destes edifícios, o piso térreo era um espaço de armazenamento para equipamentos, enquanto o nível superior era para famílias.

A fileira da frente das dunas é especialmente pitoresca quando são construídas na areia sobre palafitas.

Quanto à praia com Bandeira Azul, é tudo o que você espera de uma praia atlântica portuguesa, com ondas de surf e quilômetros de sedutora areia branca.

3. Igreja Matriz de Cantanhede

A igreja paroquial de Cantanhede é o marco histórico da cidade e foi declarada “Propriedade de Interesse Público”. Ela remonta aos tempos medievais, mas passou por muitas reconstruções, principalmente nos séculos XVI e XVIII.

O exterior é bastante sóbrio, exceto por um pequeno floreio no portal, ladeado por colunas que sustentam um frontão.

No interior, a capela do século XVI, no lado direito da nave, deve ser sua prioridade.

Este é dedicado ao Santíssimo Sacramento e foi formado pelo escultor renascentista Jean de Rouen.

É um panteão ricamente decorado para a nobre família Meneses, com um tecto de caixotões, túmulos e um tabernáculo entre as imagens dos evangelistas, a Virgem Maria Madalena.

4. Paços do Concelho de Cantanhede

A prefeitura da Praça Marquês de Marialva não é um prédio municipal comum.

Muito antes de ser adotado pela cidade, era o palácio renascentista da família Meneses.

E você pode pagar uma visita das 08:45 às 18:00 durante a semana.

O exterior parece bastante comum, mas o pátio interior é a coisa a ver.

No andar de baixo há um fliperama com abóbadas na virilha e pilares esculpidos, um dos quais tem uma inscrição de 

5. Igreja da Misericórdia de Cantanhede

António Luís de Meneses, 1º Marquês de Marialva, foi o responsável por esta igreja, fundada em 1675. Surgiu após uma promessa que fizera na batalha de Montes Claros contra os espanhóis dez anos antes.

O trabalho começou no ano da morte do Marquês, e quando o interior estava completo, seus restos foram depositados em um túmulo no coro.

Isto é marcado por uma pedra de mármore, datada de 1713. O restante da igreja foi concluído em 1733, como comemorado por uma placa em um nicho na fachada.

 

6. Terreiro do Paço de Ançã

O centro de Ançã, no mesmo município, é um emaranhado de ruas de paralelepípedos que abrigam igrejas e mansões gentis.

Mas a cena do cartão postal é esse quadrado no centro.

Há lâmpadas a gás, bancos de ferro forjado e plátanos arregimentados, cuidadosamente polidos.

E no extremo norte da praça está o belo Palácio do Marquês de Cascais Ançã, um edifício do século XVII com arco triplo e brasão de armas.

Vá até o pelourinho de Ançã, montado nos anos 1700 e restaurado 100 anos depois.

7. Moinho da Nascente de Ançã

Também em Ançã há uma nascente natural que explode a partir do solo com muita força.

A água jorra a 20.000 litros por minuto e é canalizada do solo através de condutas históricas.

Estes estão em vigor há mais de um milênio e foram o trabalho dos mouros, que também fundaram o moinho impulsionado por essas águas de fluxo rápido.

A referência mais antiga a este edifício remonta a 937, e é agora propriedade e gerida pela freguesia de Ançã.

O mecanismo dentro é uma réplica do que estava aqui antes, mas está em funcionamento e continua a moer o milho.

8. Cruzeiro da Póvoa da Lomba

Na aldeia da Póvoa da Lomba há uma bela cruz renascentista, alojada sob um pequeno pavilhão.

Ninguém tem certeza exatamente quando este monumento foi construído, mas combinando com outras cruzes neste estilo é provavelmente a partir do final dos anos 1500 ou início dos anos 1600.

Este é um crucifixo e você ainda pode ver a imagem de Jesus.

A estrutura que abriga a cruz não é muito mais nova e apresenta uma cúpula acima de uma cornija sustentada por quatro pilares.

9. Casa Municipal da Cultura de Cantanhede

Na ala oposta do palácio, o Museu da Pedra é o centro cultural de Cantanhede.

Este local elegante acolhe exposições temporárias de escultura, pintura, arte litúrgica, design gráfico e fotografia.

Pegue um folheto no posto de turismo se houver um espetáculo que se adapte ao seu gosto.

Mas você também pode ir apenas para ver mais do edifício do século XVI, com tetos em caixotões refinados e um belo painel de azulejos azuis e brancos no lobby.

10. Praia Fluvial dos Olhos da Fervença

achar o oceano um pouco áspero, existem algumas piscinas ao redor do município, incluindo uma em Cantanhede e Ançã.

Mas só em Fervença você pode ter o prazer de nadar em uma fonte natural.

A pequena e verde cavidade ao redor da piscina foi escalonada para dar espaço para secar ou descansar ao sol, tudo acessado por escadas de madeira.

Estes levam através de pinheiros para o bar, terraço, vestiários e fora para a floresta em caminhos pedestres.

A água é um tom convidativo de turquesa e permanece fresca mesmo em dias de verão empolgantes.

11. Clube de Golfe de Cantanhede

O campo de golfe da cidade é especial, porque quando foi inaugurado em 2009, foi a primeira instalação de golfe pública de Portugal.

A ideia era abrir o jogo para todos, independentemente da idade ou da renda.

Está no Complexo Desportivo de Cantanhede a noroeste da cidade.

O clube tem um pitch & putt de 9 buracos, um driving range e um green de treino.

E como é um pitch & putt recém-chegados e jogadores casuais não precisam se sentir intimidados! O curso está em conformidade com os padrões do IPPA (International Pitch & Putt Association) e todos os greens do campo têm grama natural.

Há também um clube com um bar e uma varanda com vista para a área de treinamento.

12. Surfando

A Praia da Tocha é um spot de surf que ainda está sob o radar do turismo.

Há uma praia direita e esquerda aqui com ondulações que formam ondas ocas que se mantêm a até dois metros de altura.

Isso é gerenciável para iniciantes se você já sentiu vontade de aprender a surfar uma onda.

Ticket2Surf na vila é um acampamento de surf que tem muitas opções: você pode vir por uma semana inteira, fazendo aulas duas vezes ao dia e misturando com sessões de yoga.

Ou se você estiver apenas de passagem, pode reservar aulas pontuais por meio dia e dias inteiros.

Há um serviço de “guiamento de surf”, levando você a outras praias de surf da região e passeios de stand-up paddle board.

13. Coimbra

Concorrente à cidade mais bonita do país, Coimbra foi a capital de Portugal nos séculos XII e XIII.

É um Patrimônio Mundial da UNESCO, e em algum lugar você pode explorar histórias medievais como o amor proibido entre a assassinada Inês de Castro e o futuro rei Pedro I. Coimbra também tem seu próprio gênero de música de fado, que foi iniciado por estudantes da prestigiosa universidade.

Esta instituição data de 1290 e é o objetivo de qualquer viagem de turismo: Os melhores edifícios fazem fronteira com uma praça na parte mais alta da cidade.

A Biblioteca Joanina aqui em cima é uma biblioteca sem pareil, com uma colônia de morcegos vivendo entre o barroco de madeira dourada e caçando todos os insetos entediantes de madeira à noite.

14. Tours de vinho

saberá da profusão de vinhedos em torno de Cantanhede que o vinho é parte integrante da identidade da região.

Esta é a Bairrada DOC, que tem um clima suavizado pelo Atlântico.

Mais perto da costa, os solos são arenosos, mas quando se chega a Cantanhede eles se tornam ricos em argila.

Nestas condições, a uva Portuguse Baga faz bem.

A Baga produz tintos altamente tânicos e ácidos que envelhecem bem e são um excelente parceiro da cozinha da Bairrada.

Existem três estabelecimentos nas proximidades para um pouco mais de profundidade: a adega cooperativa de Cantanhede (Adega Cooperativa), a adega da Quinta de Baixo e a gruta, Symposio Wine & Friends.

15. Culinária

é o tipo de turista que não pode visitar uma cidade sem experimentar uma de suas especialidades locais, há algumas coisas que você pode experimentar.

Nenhum é mais valorizado do que o leitão assado à Bairrada, que é leitão assado à Bairrada.

Este prato tem bastante apelo nacional para ser nomeado como uma das Sete Maravilhas Gastronómicas de Portugal.

O leitão é temperado com sal e pimenta e, em seguida, espetado e assado em fogo baixo em uma madeira durante duas horas.

No litoral, você pode saborear caldeirada de peixe, sardinha assada em sardinha na telha ou assado com batatas assadas.