O Museu do Neo-Realismo é um museu português situado em Vila Franca de Xira e foi fundado em 1990, a partir da actividade do seu Centro de Documentação.

Possui um vasto conjunto de colecções, com destaque para os mais de trinta espólios doados, entre literários (de Alves Redol a Orlando da Costa), artí­sticos (de José Dias Coelho a Rui Filipe) e editoriais (da revista Vértice à Cosmos), arquivos documentais, acervos iconográficos e espólios (como folhetos e programas da Associação Feminista Portuguesa para a Paz).

Procura diversificar a sua riqueza patrimonial e museológica, obras de arte, bibliotecas particulares e uma biblioteca especializada.

No dia 20 de outubro de 2007, o Municí­pio de Vila Franca de Xira inaugurou o novo edifí­cio do Museu do Neo-Realismo, projectado pelo arquiteto Alcino Soutinho, apresentando um conjunto bastante significativo de novas valências, nomeadamente amplos espaços para exposições temporárias de longa e curta duração (mais 1000m2), uma biblioteca temática e sala de audio-visuais, um auditório para cerca de 100 pessoas, uma cafetaria e uma livraria.

Novas exposições e uma série de actividades de divulgação e debate sobre a memória crí­tica do movimento neo-realista fazem parte dos objectivos programáticos desta nova fase do Museu do Neo-Realismo.

Criado em 1990, a partir da atividade de um Centro de Documentação sobre o movimento neorrealista português, o projeto do Museu do Neo-Realismo evoluiu inicialmente em torno da área arquivística e bibliográfica. Porém, cedo enriqueceu e diversificou o seu património, desenvolvendo um vasto conjunto de coleções museológicas, com destaque para espólios literários e editoriais, arquivos documentais (impressos e audiovisuais), acervos iconográficos, obras de arte, bibliotecas particulares e uma biblioteca especializada na temática neorrealista.