Rota dos Templarios em Portugal 10 castelos para Visitar

Um refúgio para o último refúgio da enigmática Ordem do Templo

Descobrir os mistérios da história dos Cavaleiros da Ordem do Templo e tentar decifrar seus símbolos e suas mensagens ocultas, fuja para Portugal

A Ordem dos Templários foi estabelecida no século XII para ajudar os primeiros reis portugueses na Reconquista Cristã e continuar com as Cruzadas. O seu castelo, construído em Tomar em 1160, era, naquele tempo, o dispositivo militar mais moderno e avançado do reino e inspirado nas fortificações da Terra Santa. 

Quase dois séculos depois, em 1312, o papa Clemente V pôs fim à ordem, com a intenção de acabar com sua fama e poder. Portugal é provavelmente o único lugar na Europa onde os Cavaleiros da Ordem do Templo conseguiram se proteger dos seus perseguidores. Lá eles fundaram a Ordem dos Cavaleiros de Cristo e deixaram uma boa amostra de seus edifícios, castelos e fortalezas. 

A Ordem manteve seu ideal de cruzada durante o épico dos Descobrimentos. No coração de Portugal, podemos ser guiados por histórias que nos transportarão para a busca do Santo Graal .

Não podes perder a rota que propomos é a da região dos Templários localizada em torno do rio Zêzere, um afluente do rio Tejo . 

Aqui encontra o emblemático Castelo de Almourol, a cidade costeira de Constância ou a misteriosa Torre de Dornes. 

O Castelo de Almourol em Portugal é simplesmente deslumbrante, mágico e espetacularE não por causa de seu tamanho, mas por causa do lugar onde é construído. Ergue-se num cume rochoso no meio do curso do rio Tejo e fazia parte do que ficou conhecido como a Linha do Tejo, uma linha defensiva que protegia a passagem do rio até Coimbra. 

Podes visitar e de Vila Nova da Barquinha há um barco de recreio, com capacidade para 50 pessoas, que vai para o castelo.

O embarque ocorre no cais DEl Rei, em Tancos, e a viagem inclui uma parada para visitar a ilha e o castelo. Estas viagens devem ser organizadas com antecedência na "Junta de Freguesia" de Tancos.ConstânciaÉ conhecido por ser um dos locais frequentados pelo famoso poeta português Luís Vaz de Camões que escreveu o poema épico Os Lusíadas. 

Um passeio pelo Parque Constância e o contato com a natureza assim como os Cavaleiros Templários nos aproximam de seu contexto. A proximidade de dois dos mais importantes rios portugueses, fez desta aldeia no passado, um importante porto fluvial que permitia o transporte de mercadorias entre o interior do país e Lisboa. torre templária de DornesSurpreendido pela sua forma pentagonal. 

Certamente esconde mistérios que devem ser descobertos dos Cavaleiros da Ordem do Templo. Suas cinco faces fazem dele um raro exemplo do que era a arquitetura militar da era Reconquista. Nas margens do rio Zêzere, a Torre da aldeia de Dornes era um posto de vigia e defesa. 

Nela podemos ver símbolos guerreiros no lintel da porta que testemunham sua função militar. Nas águas da lagoa de Castelo de Bode, a Torre de Dornes é um ponto essencial nesta região. E de lá para a cidade de Tomarponto de encontro dos cavaleiros e heróis que procuravam o Santo Graal. 

Descobrir sua fascinante história através das paisagens e seus monumentos é o que propomos para você. A bela Tomar, é uma das joias históricas de Portugal. Foi construído de acordo com as regras da Ordem do Templo, com quatro monumentos religiosos construídos em torno da cidade para formar uma cruz perfeita. 

O mais impressionante destes monumentos é o conjunto do Castelo de Tomar e o Convento de Cristo, Patrimônio da Humanidade pela UNESCO, construído pelos Templários no século XII. 

O castelo templário de Tomar, construído por Gualdim Pais, está estrategicamente localizado numa colina junto ao rio Nabão. Este castelo é o expoente máximo da arquitetura Templária. Pode ser visitado e está aberto sete dias por semana, e é gratuito aos domingos. De segunda a sexta-feira, a taxa é de seis euros. 

O castelo templário de Tomar, é um destino obrigatório para quem visita a região portuguesa do Ribatejo. Saber mais sobre os bravos cavaleiros e as expedições portuguesas para o Novo Mundo é o ponto forte desta rota.

Conheceremos melhor os corajosos cavaleiros cristãos cuja sede estava no Convento de Cristo, que pertenceu à Ordem do Templo e é um dos principais monumentos da arquitetura portuguesa. 

Foi fundado em 1162 pelo Grão-Mestre do Templo em Portugal, Dom Gualdim Pais e ainda retém memórias dos monges cavaleiros e seus herdeiros, a Ordem de Cristo. 

Descobriremos que a Charola, o núcleo do mosteiro, foi construído à imagem e semelhança do Santo Sepulcro de Jerusalém. E também que a igreja manuelina nesta área repete as proporções do Templo de Salomão, onde a ordem foi fundada. 

Em Tomar, a cidade dos Templários, há também a igreja de Santa María del Olivo, que já foi a sede da Ordem do Templo e panteão dos cavaleiros. 

Esta enigmática igreja foi a Catedral de todas as igrejas do Império Português nos territórios que possuía na América, África e Ásia. História emocionante e a jornada para uma era gloriosa de homens fortes e corajosos. 

Vá e encontre o seu próprio Santo Graal nas mãos dos Templários em terras portuguesas. Uma viagem a uma região do distrito de Santarém, no centro do país, que não o deixará indiferente.

O Castelo de Palmela (Setúbal) foi construído pelos Muçulmanos e, entre o século X-XII, foi reconstruído.

 

O castelo que os Muçulmanos construíram esteve ocupado pelas tropas de D. Afonso Henriques em 1147. Daí em diante, foi perdido e reconquistado sucessivamente até ser ocupado definitivamente no reinado de D. Sancho I, em 1205. Foi doado à Ordem de Santiago que se instalou lá definitivamente em 1210.



A ponte do castelo fica o antigo convento que foi mandado construir em 1423 por D. João I e doado aos monges guerreiros da Ordem de Santiago. Atualmente, uma parte do edifício é um dos mais belos hotéis de Portugal, localizado num monumento histórico.

Castelo de Almourol Vila Nova da Barquinha Santarem



Já existiam as ruínas de uma fortaleza romana que, por sua vez, terá sido construída sobre uma fortaleza fenícia. Em 1169/1171, foi construído o castelo por ordem dos Templários, mis especificamente, por ordem de Gualdim Pais. Com uma localização muito sui generis no meio de uma pequena ilha, o castelo de Almourol assenta sobre uma construção romana.

Castelo de Tomar (Tomar) - Século XII

 



Castelo de Tomar - Século XII Em 1160, o Castelo de Tomar começou a ser construído por ordem de Gualdim Pais. O castelo fazia parte do sistema defensivo criado pelos Cavaleiros Templários, para proteger a fronteira do reino cristão contra os Árabes, e sobreviveu como destacado baluarte durante quase dois séculos, em plena Idade Média.

Castelo de Santa Maria da Feira






Sabe-se que os Templários estiveram nesta fortaleza por causa dos corredores e de alguns pormenores que comprovam a sua presença neste local.

Castelo de Pombal (Leiria)

 



Fundado por Gualdim Pais, a quem D. Afonso Henriques doou a terra para edificar a fortaleza, pertenceu à Ordem de Cristo no século XIV e foi reconstruído por D. Manuel, em princípios do século XVI. Está implantado numa colina, à frente da cidade, e tem a forma de um escudo, com as suas muralhas ameadas.

Castelo de Soure (Coimbra - Século X) - no século XII, foi entregue à Ordem dos Templários

 



Pensa-se que a construção deste castelo foi iniciada no século XI, mas pouco tempo depois foi destruído pelos Mouros durante uma batalha. Cem anos mais tarde, o castelo foi doado ao Conde Fernando Pérez de Trava, que o reconstruiu. Pertenceu à Ordem dos Templários que o usou como sede e também à Ordem de Cristo.

Castelo Penha Garcia, Construído em 1295

 



Última fortaleza da Ordem dos Templários. O seu nome evoca o lendário D. Garcia Mendes, alcaide do castelo (da “Penha”), o qual, pelo amor de uma nobre donzela, dispôs-se a perder um braço. Do alto das muralhas avista-se o profundo vale do rio Ponsul, com as suas azenhas.

Castelo de Castelo Branco






O Castelo de Castelo Branco foi edificado pela Ordem dos Templários, por volta do ano 1220, sendo que haviam recebido anteriormente estas terras de D. Afonso Henriques, depois da sua reconquista aos árabes e fundado aí a cidade de Castelo Branco. Assim, o conjunto do Castelo dos Templário e das suas muralhas, passaria a integrar a chamada «linha defensiva do Tejo», da qual faziam parte também o Castelo de Almourol, o Castelo de Monsanto, o Castelo de Pombal, o Castelo de Tomar e o Castelo do Zêzere.

Castelo de Nisa






O castelo de Nisa foi edificado nas terras áridas e de planície do Alentejo, região fortemente dominada e influenciada pelos mouros por séculos consecutivos. Do antigo castelo medieval chegou aos dias actuais apenas duas portas, a principal da vila e de Montalvão. A sua edificação foi dirigida por dom Frei Lourenço Martins, por volta de 1290, no reinado de dom Dinis, já nos últimos anos de existência da ordem.

Castelo de Ceras

O castelo de Cera (Castrum Caesaris), atualmente chamado de Ceras, estava situado junto à ribeira de Ceras, na freguesia de Alviobeira, conselho de Tomar. Em 1159, dom Afonso Henriques doou a fortificação aos Templários, considerada de posição estratégica na linha do Mondego ao Tejo.

  • Rota dos Templarios em Portugal 10 castelos para Visitar