A paradisíaca aldeia portuguesa onde apenas vive uma pessoa

A paradisíaca aldeia portuguesa onde apenas vive uma pessoa

Não há, por isso, pedidos à lista. Quem chega come o que foi preparado de antemão por Fernando, hoje um cozinheiro experiente e dedicado. Pode ser uma aveludada sopa de saramagos (uma planta silvestre), feijões afogados (misturados com arroz e massa), um novilho assado ou um valente costeletão de novilho

 

Vale (ou Val) de Poldros — assim denominada porque na época de D. Dinis aqui se criavam os poldros regionalismo para o mais comum: potros para a guerra – é uma das “cerca de dez brandas existentes na região do Alto Minho e aquela que concentra o maior número de cardenhas em melhor estado de preservação

 

As brandas são aldeias de montanha, localizadas acima dos 900 metros de altitude, para onde se mudavam as populações no Verão (de Março a Outubro), saindo das inverneiras (aldeias “gémeas” localizadas nos vales, onde viviam resguardadas no Inverno) com o gado, alfaias agrícolas e, por vezes, até “toda a mobília”, numa deslocação migratória sazonal conhecida por transumância.

 

Ainda há quem faça este movimento, aproveitando as inúmeras nascentes que correm pelos vales até Maio, utilizadas nos “regueiros de milho” e para a plantação de centeio nos lameiros (socalcos), que vemos agora ainda postos de verde relvado delimitado por muros de pedra.

 

 

Percorrem-se uns largos quilómetros de estrada sem avistar qualquer povoação até se chegar a Val de Poldros, a 1200 metros de altitude, com uma vista imponente da serra da Peneda. Como anfitrião, temos Fernando Gonçalves, 48 anos, o único habitante da aldeia, que regressou à terra natal em 2004, depois de ter estado como emigrante em Andorra. “Era tanto o silêncio que parecia que fazia mal”, recorda

 

 
 
 
Ver esta publicação no Instagram

Uma publicação partilhada por Vítor Santos (@vitorhrsantos)

 

Ultrapassou o isolamento com a abertura de um restaurante que, actualmente, recebe clientes fiéis de paragens mais ou menos distantes, muitos deles de Espanha. Fui aprendendo com eles o que deveria pôr na mesa, conta. Depende da época do ano e do que tenho à mão.

 

 

Pratos bem apurados, com matéria-prima de excelência, para comer de preferência ao calor da salamandra, que por estas bandas o vento frio sopra impiedoso, mesmo durante a primavera. As portas do restaurante Val de Poldros estão abertas durante todo o dia e o proprietário desdobra-se em atenções aos visitantes. À noite, só faz jantares por encomenda.

 

 

 
 
 
Ver esta publicação no Instagram

Uma publicação partilhada por Ana Sousa Simões (@simoessousaana)

 

Da varanda desta casa de granito, tem-se um belo cenário daquela que ficou conhecida como a “aldeia dos hobbits”, dadas as semelhanças com o cenário verdejante do filme O Senhor dos Anéis.

 

 

Este é um dos exemplos de brandas no Alto Minho (são cerca de dez), povoados de montanha apenas habitado durante os meses de verão, para aproveitar os viçosos pastos. Nos restantes, os habitantes desciam à inverneira Riba de Mouro, a sede da freguesia, uma transumância humana que hoje poucos praticam.

 

 

Como abrigo para o frio cortante de Val de Poldros, os pastores utilizavam as cardenhas, construções rudimentares de granito, com tecto baixo para preservar o calor, de que ainda ali existe um conjunto muito significativo (o maior da região) e possível de preservar.

 

 
 
 
Ver esta publicação no Instagram

Uma publicação partilhada por Fatima Rodrigues (@fatima19611)

 

A Branda é um lugar de montanha, onde se dirigiam os pastores com o seu gado no inicio dos meses de maior calor, a partir de Maio. Existem dois tipos de Brandas ; Brandas de gado e as Brandas de cultivo A Branda de Sto António situada a cerca de 1100m de altitude numa chã elevada, onde existiam melhores terrenos para o pasto de gado bovino e para a prática da agricultura. Trata-se de uma branda de gado que com o tempo se converteu em Branda mista













O que visitar e conhecer em Portugal

Os 15 melhores sitios para ver e visitar em Aljezur

Os 15 melhores sitios para ver e visitar em Aljezur

Praia de Vale dos HomensVale dos Homens é uma praia portuguesa, situada junto da, freguesia da Rogil no concelho algarvio de Aljezur. Faz parte do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina. O acesso a esta praia faz-se,pela estrada nacional nº 120, junto a Rogil. Seguindo as indicações de praia percorremos c...
Os 18 melhores pontos turisticos para conhecer e visitar em Lagos

Os 18 melhores pontos turisticos para conhecer e visitar em Lagos

Praia da Dona AnaA praia da Dona Ana uma das mais famosas na rea. tambm um lugar popular para mergulho sem botija, tem um aceso at praia do pinho atravs da arriba. Embora esta praia seja bastante isolada possvel encontrar um pequeno parque de estacionamento, casas de banho e um restaurante nas suas imediaes.Praia da BatataLocalizada...
Os 10 melhores sitios para ver e visitar em Ilha Terceira

Os 10 melhores sitios para ver e visitar em Ilha Terceira

Praia das Escaleiras Praia da Vitria, ilha Terceira, AoresA Piscina das Escaleiras é uma piscina natural localizada na freguesia da Vila Nova, concelho da Praia da Vitória, ilha Terceira, Açores. Trata-se de uma praia composta por uma parte de areias grossas e por uma parte rocha de pedras basálticos de cor negra rode...
Os 18 melhores pontos turisticos e passeios em Évora

Os 18 melhores pontos turisticos e passeios em Évora

Aqueduto da gua de Prata vora O Aqueduto da água de Prata, conhecido também por Aqueduto da água da Prata ou Aqueduto da Prata é uma complexa obra de engenharia hidráulica renascentista com o objectivo de abastecer a cidade de Évora com água. Inaugurado no ano de 1537, foi edificado no reinado de D...