Os 10 melhores locais para visitar em Viana do Castelo

Os 10 melhores locais para visitar em Viana do Castelo

Chafariz da Praça da Rainha Praça da República centro histórico de Viana





O Chafariz da Praça da República está localizado na parte oriental da Praça da República (antiga Praça da Rainha), Situado no centro histórico de Viana, no centro da Praça da Rainha, o exemplar semelhante ao de Caminha ergue-se sobre uma escadaria de quatro degraus, com um tanque circular. No centro deste, imerso na água, assenta o pilar que suporta todo o resto da estrutura. Sobre este pilar está a bojuda coluna estriada e decorada com folhagens.

Surge um conjunto de três taças, que vão diminuindo de diâmetro à medida que são colocadas mais acima. A primeira taça é rematada por dois frisos a toda a sua volta, sendo o superior decorado com motivos denteados semelhantes aos do tanque. À volta desta existem seis carrancas que servem para escoar a água. A taça seguinte é semelhante à anterior, diferenciando pelas quatro cabeças aladas que também jorram água.

Este é um chafariz renascentista, o último de um conjunto de três projetos monumentais realizados pelo canteiro portuense João Lopes, o Velho no Minho e na Galiza. Terá substituí­do uma fonte mais antiga em que teriam trabalhado os canteiros Fernão Anes (1512) e João Gonçalves (1523).



Castelo de Monção Castelo medieval dos alvores





O Castelo de Monção, no Minho, localiza-se na freguesia, vila e concelho de Monção, distrito de Viana do Castelo, em Portugal. Descrição sumária: Castelo medieval dos alvores da nacionalidade cuja fundação se desconhece mas que terá sido acrescentada uma barbacã no reinado de D. Dinis. Fortaleza abaluartada e mandada edificar após a Declaração da Independência em 1640, tendo sido terminada nos inícios do século XIX, nunca sendo concluídos os trabalhos de obras exteriores.

Erguido na margem esquerda, a jusante de Melgaço, tinha como função primitiva defender neste trecho a passagem do rio Minho.



Ponte Românica de Vilar de Mouros





Caminha é uma vila portuguesa no Distrito de Viana do Castelo, região Norte e sub-região do Minho-Lima, com cerca de 2 500 habitantes. É sede de um município com 136,52 km² de área com cerca de 16 684 habitantes com 14 freguesias 

Construtivamente, a ponte pode considerar-se um protótipo das pontes góticas nacionais. A grande maioria dos autores que a ela se referiram coincide na proximidade estrutural e estilística para com a ponte de Ponte de Lima, ela sim o verdadeiro modelo de ponte gótica seguida no Norte do país, pela sua dimensão e pelo impacto que certamente teve no panorama laboral e económico do Entre-Douro-e-Minho da altura. Na obra de Vilar de Mouros, o esquema seguido é idêntico, com grandes arcos ligeiramente quebrados, intercalados por olhais sobre talhamares prismáticos, que reduzem, consideravelmente, o peso da estrutura



Ponte de Ponte de Lima ex-libris de Ponte de Lima





A Ponte de Ponte de Lima, também referida como Ponte Velha, localiza-se sobre o rio Lima, na freguesia de Ponte de Lima, na vila de mesmo nome, distrito de Viana do Castelo, em Portugal.

O ex-libris de Ponte de Lima, que conjuntamente com o rio que banha a vila, deu o nome à localidade, é a sua ponte. Na realidade, é um conjunto formado por duas pontes: um troço medieval, de maior dimensão, que tem início na margem esquerda e se estende até à Igreja de Santo António da Torre Velha e a passa ainda em dois arcos.

Depois, o troço que resta da ponte romana. São apenas cinco arcos a partir do grande arco que está em leito seco. Se descer verá também os alicerces da Torre Velha, talvez a primeira do sistema defensivo medieval. 



Capela do Anjo da Guarda (Ponte de Lima)





A Capela do Anjo da Guarda, também referida como Padrão de São Miguel, localiza-se à margem direita do rio Lima, junto à ponte romana sobre o mesmo, na freguesia de Ponte de Lima, na vila de mesmo nome, distrito de Viana do Castelo, em Portugal.

Como foi comum na Baixa Idade Média, a mobilidade dos homens e a consequente travessia de pontes impôs devoções populares de grande impacto junto a essas estruturas. Rezava-se à partida, na perspectiva de um boa viagem, e em agradecimento pela chegada sã e salva. Não espanta, por isso, que numerosas capelas e ermidas devocionais tenham pontuado a paisagem ribeirinha da nossa Idade Média, junto dos principais pontos de travessia dos rios.

A pequena capela do Anjo da Guarda não escapa a estas condicionantes e, apesar de não se conhecer exactamente a sua origem (nem a época específica em que foi levantada), não restam dúvidas sobre a relação com a antiga ponte romana, e depois medieval, de Ponte de Lima.



Ruí­nas da cidade velha de Santa Luzia





As Ruí­nas da cidade velha de Santa Luzia ou citânia de Santa Luzia são uma citânia localizada na freguesia da Areosa, Viana do Castelo. Está classificado como Monumento Nacional. É atribuí­do à Idade do Ferro do Norte de Portugal, tal como a citânia de Briteiros e a Cividade

A Citânia de Santa Luzia é um notável exemplar dos povoados fortificados existentes no Noroeste Peninsular, tanto pela sua dimensão, como pelo planeamento urbanístico, tipologia construtiva e carácter defensivo.

Situado na coroa do Monte de Santa Luzia, num local geograficamente estratégico, de onde se domina toda a área envolvente, desde o estuário e foz do Rio Lima até à zona costeira atlântica, este povoado castrejo de tipo proto-urbano evidencia uma ocupação contínua entre os períodos da Idade do Ferro e Romanização. 



Igreja de São Pedro de Rubiães em Paredes de Coura paragem obrigatório para quem faz o Caminho de Santiago





A Igreja de São Pedro de Rubiães localiza-se na freguesia de Rubiães, vila e concelho de Paredes de Coura, distrito de Viana do Castelo, em Portugal.

Está classificada como monumento nacional desde 1913, é um dos pontos de paragem obrigatório para quem faz o Caminho de Santiago e vai acolher o próximo concerto da iniciativa Sente a História.

Em causa está a Igreja Românica de S. Pedro de Rubiães, em Paredes de Coura, que vai ser o palco já este sábado, dia 15 de setembro, às 22h, de um espetáculo protagonizado por um dos mais prestigiados grupos de música de câmara portugueses:



Igreja de São Fins de Friestas





A Igreja de São Fins de Friestas localiza-se na freguesia de Friestas, concelho de Valença, Portugal. Apesar de bastante alterada pelos restauros da primeira metade do século XX, a igreja de São Fins de Friestas é um dos nossos monumentos românicos mais importantes e um daqueles em que se evidencia, de forma mais clara, a longa duração da influência galega (em particular do estaleiro da Sé de Tui), que, na vertente esquerda do rio Minho, se prolongou mesmo para cá da viragem para o século XIII.

A igreja românica, de uma só nave, data do século XII e fazia parte um mosteiro da Ordem Beneditina (ou segundo o investigador Manuel Luí­s Real dos Cónegos Regrantes de Santo Agostinho).

Apresenta uma cabeceira redonda com os cachorros esculpidos com motivos fitomórficos e zoomórficos em gárgulas.

Está classificada como monumento nacional desde 1910.



Castelo de Melgaço





O Castelo de Melgaço localiza-se na freguesia de Vila, concelho de Melgaço, distrito de Viana do Castelo, em Portugal.

Principal defesa raiana do Alto Minho no século XII, constitui-se na sentinela mais setentrional de Portugal, no trecho onde o rio Minho inicia a sua função fronteiriça, vigiando a travessia para a Galiza.

No cimo de um morro sobranceiro à Vila, encontramos esta antiga fortificação, testemunho dos primeiros momentos da nacionalidade portuguesa. Mandada edificar por Dom Afonso Henriques no século XII/XIII, deste antigo castelo resta apenas uma torre de menagem de planta quadrangular, com três pisos e cobertura em telha, e parte da antiga cerca da Vila medieval.



Igreja Matriz de Caminha





A Igreja Matriz de Caminha também referida como Igreja de Nossa Senhora da Assunção, localiza-se na vila e concelho de Caminha, distrito de Viana do Castelo, em Portugal.

Igreja paroquial sob a invocação de Nossa Senhora da Assunção, é um dos edifí­cios religiosos mais vastos e importantes do norte do paí­s.

 

Seguindo estruturalmente o modelo gótico de igreja-fortaleza de três naves escalonadas e torre ameada, este templo, iniciado por volta de 1488, parece passar ao lado do chamado "manuelino”, apenas patente na guirlanda da cabeceira e tecto mudéjar.Em contrapartida apresenta inovadora linguagem renascentista nos portais axial, lateral sul e arco triunfal da capela do Senhor dos Navegantes, com influências do plateresco espanhol. - See more at: https://www.culturanorte.pt/pt/patrimonio/igreja-matriz-de-caminha/#sthash.LxKPR8r7.dpuf









O que visitar e conhecer em Portugal

10 lugares grátis para visitar em Vila do Conde

10 lugares grátis para visitar em Vila do Conde

Igreja Matriz de Vila do CondeA Igreja de São João Batista ou Igreja Matriz de Vila do Conde localiza-se na cidade e concelho de Vila do Conde, distrito do Porto, em Portugal. É um dos mais importantes monumentos da cidade e um dos mais significativos em estilo manuelino no paí­s, apresentando elementos da arquitectu...
Os 9 melhores sitios para ver e visitar em Setúbal

Os 9 melhores sitios para ver e visitar em Setúbal

Castelo de Palmela Visita Obrigatria O Castelo de Palmela localiza-se na vila, freguesia e concelho de mesmo nome, distrito de Setúbal, em Portugal. Na pení­nsula de Setúbal, no contraforte Leste da serra da Arrábida, está situado entre os estuários do rio Tejo e do rio Sado, próximo à f...
Os 9 melhores locais para visitar em Odemira

Os 9 melhores locais para visitar em Odemira

Praia de Carvalhal (Odemira) Situada a poucos quilómetros da Zambujeira do Mar, com acesso por uma estrada de terra batida a sul desta localidade, a Praia do Carvalhal é bastante concorrida durante o verão.Integrada no Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina que é considerado o troço de litoral eu...
Roteiro 12 lugares obrigatorios a visitar em Matosinhos

Roteiro 12 lugares obrigatorios a visitar em Matosinhos

Padro do Bom Jesus de MatosinhosO Padrão do Bom Jesus de Matosinhos localiza-se em Matosinhos, Portugal.  Datado do século XVIII e conhecido também por “Senhor do Espinheiro” ou “Senhor da Areia”, assinala o local onde, segundo a lenda, apareceu a imagem do Bom Jesus de Bouças, mais tar...