Real Colgio das Artes de Coimbra





A construção do Colégio teve início em 1568.  A construção do Colégio teve início em 1568. Concentra-se em torno de um pátio quadrangular ornamentado com colunas dóricas, as originais, no piso inferior. No segundo piso, verifica-se a utilização dos novos materiais construtivos da sua última grande reforma, nos inícios do século XX, as elegantes colunas de ferro fundido.

O edifício colegial, devido às diversas ocupações de que foi alvo e às inúmeras funções que desempenhou, perdeu a sua fisionomia arquitectónica original, conservando, contudo, algumas das estruturas arquitectónicas das antigas salas de aulas, nomeadamente as colunas de suporte de arcos e das coberturas, de abóbadas de arestas.

Dos dois espaços de culto existentes no edifício colegial, apenas se conservou a pequena capela, localizada no flanco nascente do primeiro piso. A campanha de obras realizada nos inícios do século XX, ao altear as estruturas arquitectónicas, absorveu as áreas da capela mas conservou, com ligeiras alterações, o átrio e a sacristia.



Colegio jesus em Coimbra





Colegio jesus em Coimbra no âmbito da reforma Pombalina foram atribuídas novas funções ao edifício, inteiramente transformado com a construção de novos e amplos espaços em torno dos três pátios preexistentes. No âmbito da reforma Pombalina foram atribuídas novas funções ao edifício, inteiramente transformado com a construção de novos e amplos espaços em torno dos três pátios preexistentes. Moderno e funcional, o edifício do Museu de História Natural revela um sólido programa de forte linguagem classicista. Realçando o carácter pedagógico e científico da Reforma Pombalina destacam- se, entre as demais salas, os anfiteatros, onde outrora eram ministradas as aulas teóricas que antecediam as lições práticas e experimentais.



Museu Nacional de Machado de Castro Coimbra





O Museu Nacional de Machado de Castro é um dos mais importantes museus de Belas-Artes de Portugal. Foi assim denominado em homenagem ao destacado escultor conimbricense Machado de Castro. O seu espólio inclui importantes núcleos de escultura, pintura e Artes decorativas. Ocupa as antigas instalações do Paço Episcopal de Coimbra e um amplo edifí­cio novo, inaugurado em 2012. Localiza-se no Largo Dr. José Rodrigues, freguesia da Sé Nova, Coimbra.

 

A primeira Exposição Universal, realizada no cenário londrino de Hyde Park, em 1851, foi um acontecimento de tal modo inovador que muitos o consideraram como o alvorecer de uma nova era. Teve, sem dúvida, consequências marcantes pelo que diz respeito à produção industrial, ao comércio internacional e ao turismo, do mesmo passo que produziu resultados decisivos no tocante à museologia e ao ensino artísticos.

Este grande certame veio evidenciar que a cotação de um qualquer produto manufaturado não resulta unicamente do seu valor de uso, mas é igualmente definida em função de critérios de gosto .

No sentido de contrariar a primazia unanimemente atribuída à França em matéria de bom gosto, os ingleses criam uma instituição destinada a alargar a influência da arte e da ciência sobre a indústria, a que acabará por ser dado o nome de Victoria and Albert Museum . Este inovador estabelecimento articulava-se intimamente com uma escola de desenho, centro de uma rede de escolas locais, visando contribuir para o depuramento do gosto dos agentes mais diretamente envolvidos na produção industrial.



Colgio de So Toms de Aquino de Coimbra





A construção teve início em 1543, do Colégio de São Tomás de Aquino de Coimbra. A traça do Colégio segue esquema de um claustro central, a partir do qual se organizavam todas as dependências pedagógicas e residenciais. No século XVIII, o andar superior do flanco nascente foi ampliado e renovado, recebendo novas janelas de avental e um varandim de aparato.

Com a extinção das Ordens Religiosas em 1834, o imóvel seria incorporado na Fazenda Pública, servindo de armazém de madeiras até à sua aquisição pelos Condes do Ameal. Logo em 1895, o arquitecto Silva Pinto procedia à readaptação do edifício a palacete residencial através de um plano revivalista neoclássico, enobrecido com a escultura de João Machado.



Aqueduto romano de Conmbriga Condeixa-a-Velha





O aqueduto foi construí­do no século I d. C., o aqueduto ter-se-á inserido no projecto de urbanização da cidade de Coní­mbriga durante a época de Augusto com cerca de três quilómetros cuja conduta é, essencialmente, subterrânea - por forma a chegar água à cidade.

Durante a época de Cláudio já se encontrava em funcionamento, como esgoto, que terá antecedido a construção de duas cisternas.

Situado numa zona agrí­cola, a água era captada por uma represa e respectiva torre - denominado castellum - de planta rectangular.

 

A 16 quilômetros de Coimbra, na freguesia de Condeixa-a-Velha e a 2 quilômetros de Condeixa-a-Nova, está Conímbriga, uma das maiores povoações romanas de que há registros na Península Ibérica. Creia!

Uma vila romana datada de I d.C. no centro de Portugal! Já imaginou que em terras portuguesas tem um povoado de origem celta, ocupado por tropas romanas em 139 a.C., e que depois será a capital da província da Lusitânia? Para aqueles viciados em história e em arte romana garanto que, no mínimo, percorrer as ruínas deste lugar é uma experiência sensacional!



Faculdade de Medecina de Coimbra





O Faculdade de Medecina de Coimbra projecto inicial deste edifício, traçado pelo arquitecto Lucínio Guia da Cruz de acordo com uma gramática moderna e classicizante, acabaria por sofrer algumas alterações impostas pelo arquitecto Cristino da Silva. 

O projecto inicial deste edifício, traçado pelo arquitecto Lucínio Guia da Cruz de acordo com uma gramática moderna e classicizante, acabaria por sofrer algumas alterações impostas pelo arquitecto Cristino da Silva. A vincada austeridade e uniformidade das formas arquitectónicas foram atenuadas em determinados sectores com a aplicação de elaborados conjuntos escultóricos e pictóricos.



S Velha de Coimbra





A Sé Velha de Coimbra localiza-se na freguesia da Almedina (Coimbra), na cidade e concelho de Coimbra, distrito de mesmo nome, em Portugal. A construção da Sé Velha teve início no século XII, sob a orientação do Mestre Roberto que dirigia na mesma época a obra da Sé de Lisboa. A igreja românica, construida em calcário amarelo, está implantada a meia encosta e é constituida por três naves, transepto saliente e cabeceira tripartida. O claustro, de um piso, disposto lateralmente a sul da igreja, foi construído no início do século XIII. 

Constitui um dos edifí­cios em estilo românico mais importantes do paí­s. A sua construção começou em algum momento depois da Batalha de Ourique (1139), quando Afonso Henriques se declarou rei de Portugal e escolheu Coimbra como capital do reino. Na Sé está sepultado D. Sesnando, conde de Coimbra.

No interior da igreja, destacam-se a cabeceira, a torre-lanterna sobre o cruzeiro, os túmulos medievais e os azulejos sevilhanos quinhentistas que revestiam os pilares e naves, hoje circunscritos a alguns vãos e arcosólios. 



Museu do Mosteiro de Lorvo





Não são permitidas visitas durante os Serviços Religiosos. | Visits not allowed during the Religious Services. | Les visites ne sont pas permis pendant les offices religieuses.

Envolta em diversas lendas, a fundação do Mosteiro de Lorvão tem vindo a ser recuada até ao séc. VI, época em que foi pela primeira vez identificada a paróquia suevo-visigótica de "Lurbine", tendo sido seu fundador o abade Lucêncio, que se sabe ter assistido ao Concílio de Braga em 561.

Muito embora subsista uma pedra de mármore com ornato visigodo, os primeiros documentos escritos só aparecem depois da primeira Reconquista de Coimbra, em 878, data a partir da qual surgem os primeiros documentos escritos testemunhando a existência de uma comunidade que desempenhou um importante papel no fomento agrário e repovoamento da região. Os monges de Cluny, que vieram a fundar o Mosteiro de Lorvão, dedicaram-no aos mártires São Mamede e São Pelágio.

No séc. X, a sua importância era já considerável e o Mosteiro atingiu grande prosperidade graças a doações de fiéis e ricos-homens, nomeadamente, durante o governo do abade Primo, que mandou vir de Córdova artistas especializados para fazerem obras na região. A investida muçulmana de 987 pôs fim a este surto de progresso mas, após 1064, a comunidade laurbanense recuperou o seu prestígio e esplendor e, em redor do Mosteiro, cresceu uma população atraída pelo trabalho oferecido pelos monges nas suas vastas propriedades.



colgio So Jernimo em Coimbra





O edifício do colégio São Jerónimo em Coimbra, cuja construção teve início em 1565, é constituído por um núcleo central representado pelo claustro, em torno do qual se desenvolviam as principais áreas. O claustro, o último a ser traçado por Diogo de Castilho, revela ainda uma gramática e estética decorativa idêntica aos que foram edificados na Coimbra quinhentista, com suas abóbadas, colunas e capitéis. No lanço norte daquele, entre o átrio de entrada e o antigo corredor de acesso ao primeiro andar, ficava a sala do capítulo, enquanto, no sector poente, no primeiro piso, funcionava a livraria do Colégio.

Localizada no flanco sul, a igreja, da qual resta ainda a estrutura arquitectónica principal, foi adaptada a dispensário farmacêutico no século XIX.



Porta e Torre de Almedina Coimbra





A Porta e Torre de Almedina localizam-se na freguesia de Almedina, cidade e concelho de Coimbra, distrito de mesmo nome, em Portugal. Como o próprio nome indica, constituí­a-se na porta da almedina, entrada principal da cidade intra-muros. É acedida a partir da porta da Barbacã, na rua Ferreira Borges, uma das principais artérias da baixa de Coimbra. Ambas integram o Núcleo da Cidade Muralhada.



Turismo em Portugal

Explora restaurantes museus hoteis e muito mais em Portugal