S do Porto visita obrigatria





A Sé / Catedral da cidade do Porto, situada no coração do centro histórico da cidade do Porto, é um dos principais e mais antigos monumentos de Portugal. 

Esta construção de estilo românico começou no século XII. Várias mudanças até o século XX não conseguiram diminuir sua austeridade um tanto primitiva. A sacristia, o claustro e os belos azulejos (azulejos) que cobrem as suas galerias, bem como a capela, datam do período gótico. Uma linda rosácea do século XIII se destaca na frente oeste. As pinturas de Nasoni, o retábulo de talha dourada entalhada e o altar de prata do Santíssimo Sacramento são dignos de nota. A missa ainda é celebrada lá, mas se é a tranquilidade que você procura, não perca o claustro.

 

Entrada gratuita. Pense em pagar 3 euros por pessoa para a visita do claustro. A Sé Catedral também é um ótimo lugar para se ter uma visão de 360 graus do Porto .



Igreja do Carmo (Porto)





A Igreja do Carmo ou Igreja da Venerável Ordem Terceira de Nossa Senhora do Carmo, lIgreja construída na segunda metade do século XVIII, é um dos edifícios mais notáveis do rococó portuense, tanto na arquitectura como na talha que lhe molda o interior. A sua fachada lateral foi coberta em 1912 com um painel de azulejos, onde estão pintados desenhos da autoria de Silvestre Silvestri. São composições figurativas alusivas ao culto de Nossa Senhora. Edifício classificado como monumento nacional.

ocaliza-se no cruzamento entre a Praça de Carlos Alberto e a Rua do Carmo, nas proximidades da Igreja e Torre dos Clérigos, na freguesia portuguesa da Vitória, cidade do Porto.

De estilo barroco/rococó, foi construí­da na segunda metade do século XVIII, entre 1756 e 1768, pela Ordem Terceira do Carmo, sendo o projecto do arquitecto José Figueiredo Seixas. A construção do hospital começou mais tarde, ficando concluí­do em 1801.

Esta igreja está geminada com a Igreja dos Carmelitas, do lado oeste, constituindo um volume único, embora se diferenciem as duas igrejas.

Foi classificada como Monumento Nacional a 3 de Maio de 2013, em conjunto com a Igreja dos Carmelitas adjacente.



Museu Militar do Porto





O Museu Militar do Porto é uma instituição pertencente ao Exército Português, vocacionada para a preservação da história militar.

 

O edifício principal do Museu Militar do Porto, que hoje alberga parte das coleções do Museu, foi inicialmente concebido para habitação familiar, nos finais do séc. XIX. No entanto, as funções que lhe foram atribuídas pelo Estado Novo, como Delegação da PIDE-DGS, marcaram profundamente as vivências da população do Porto, durante grande parte do séc. XX.

Possui coleções de armamento ligeiro, equipamentos, uniformes e artilharia pesada, abrangendo um período do séc. XVI a meados do séc. XX. De particular interesse é a coleção de miniaturas de soldadinhos que aborda a evolução do guerreiro desde a antiguidade até à época contemporânea.

Praia do Carvalhido fica na Pvoa de Varzim





A Praia do Carvalhido é uma pequena praia marí­tima na área urbana da Póvoa de Varzim, localizada a meio da Avenida dos Banhos/ Passeio Alegre entre a Praia Redonda e a Praia da Salgueira. A Praia do Carvalhido é uma praia bastante frequentada de areia branca com alguns penedos dentro e fora de água.

É uma Praia Oceânica situada na costa de Portugal — Península Ibérica — no concelho da Póvoa de Varzim, banhada pelo Oceano Atlântico.

A Praia do Carvalhido tem um areal de pequenas dimensões. Areia adentro, foi construído o Miradouro do Carvalhido juntamente com alguns bares. Daqui é possível desfrutar, em plena Zona Urbana Sul II, de uma vista privilegiada sobre a cidade da Póvoa de Varzim.O acesso é conseguido virando da Estrada Nacional 13 para Oeste. Após entrar na Rua Elias Garcia, segue-se em frente até à marginal.

A praia está constantemente lotada em dias de agosto e por isso várias pessoas reservam o lugar montando tendas e que insistem em manter (pelo menos os alicerces) de um dia para o outro. No dia 15 de agosto a procura é ainda maior.

Na praia localiza-se a Esplanada do Carvalhido, composto por um miradouro e bares no seu interior.



Ponte da Arrbida Porto





A Ponte da Arrábida é uma ponte em arco sobre o Rio Douro que liga o Porto (pela zona da Arrábida) a Vila Nova de Gaia (pelo nó do Candal), em Portugal.

Desde a década de 1930 que era necessário criar ligações alternativas í s antigas pontes (pontes D. Maria Pia e D. Luí­s) de modo a responder ao crescente fluxo da circulação viária.

No tempo da sua construção em 1963, a ponte tinha o maior arco em betão armado de qualquer ponte no mundo.

O comprimento total da plataforma é de 614,6m , tendo uma largura de 26,5m. O seu vão de 270 m, e 52 m de flecha, arco esse constituí­do por duas costelas ocas paralelas, de 8m de largura ligadas entre si por contraventamento longitudinal e transversal. Tinha duas faixas de rodagem e duas faixas laterais para peões e ciclistas. Na década de 90 foi alterado o número de faixas rodoviárias.

O engenheiro responsável pelo seu projecto e construção foi Edgar António de Mesquita Cardoso que teve a colaboração do arquitecto Inácio Peres Fernandes e do engenheiro José Francisco de Azevedo e Silva.



Igreja de So Francisco (Porto)





A Igreja de São Francisco é uma igreja gótica da cidade do Porto, situada na freguesia de São Nicolau em pleno Centro histórico do Porto. A construção iniciou-se no século XIV como parte de um convento Franciscano. É notável pelo seu conjunto de talha dourada barroca do século XVIII. Anexa à sua entrada frontal, situa-se a Igreja da Venerável Ordem Terceira de São Francisco.

Os frades franciscanos começaram a construir a Igreja de São Francisco em 1245. Mais tarde, teve que ser reformada depois do incêndio que destruiu o antigo claustro e parte da igreja.

O Interior tem três naves revestidas com talhas douradas, nas quaisse acredita que foram usados mais de 300 quilos de pó de ouro. Tanto é o ouro que reveste a igreja que, anos atrás, foi fechada ao culto por ser muito ostentosa para a pobreza que a rodeava.

Na nave lateral esquerda está uma das maiores atrações da igreja, a Árvore de Jessé, uma escultura de madeira policromada considerada uma das melhores do mundo em seu gênero. 

É Monumento Nacional desde 1910 e Património Cultural da Humanidade - UNESCO desde 1996.



Rua da Mouzinho da Silveira visita na cidade velha de ruas de Porto





Um dos mais importantes, longo e largo da cidade velha de ruas de Porto perto do porto rio é conhecida como Rua da Mouzinho da Silveira. Esta rua é um dos melhores para baixar de área superior para o porto de Porto onde fazer um bom cruzeiro no rio. A rua está alinhada com fachadas antigas e um tanto negligenciada telha que dá aquele toque tão característico e, normalmente, tem muito de Portugal. Também este lugar tem várias lojas de souvenirs, onde você pode comprar um pequeno mapa da área histórica para obter os nossos rolamentos melho

 

O nome da rua é uma homenagem a José Xavier Mouzinho da Silveira, estadista e uma das personalidades maiores da revolução liberal.

 

A Rua de Mouzinho da Silveira é uma rua com perfil transversal de 19 metros e foi construída no último quartel do século XIX, época da maioria dos seus edifícios. O seu traçado, foi decidido em sessão camarária de 17 de Junho de 1875 para ligação do Largo de São Bento (hoje Praça de Almeida Garrett) à Rua de São João.

 

Fica situada na baixa portuense, junto à estação de S. Bento e desde sempre foi uma rua marcada pelo comércio. Ainda hoje mantém a traça dos edíficios antigos, tendo os vários espaços comerciais aproveitado as suas fachadas, fazendo lembrar as lojas de outros tempos.Esta rua deve o seu nome a José Xavier Mouzinho da Silveira, político liberal, que nasceu a 12 de Julho de 1780.

 



 

Para a construção desta rua, houve que cobrir o rio da Vila com um grande aqueduto. A sua construção exigiu a expropriação de mais de 80 parcelas de habitações que se localizavam na área correspondente ao seu traçado, para além da demolição de alguns edifícios notáveis, como a Capela de São Crispim e a Capela de São Roque. Foi derrubado um dos últimos vestígios da antiga muralha fernandina, localizado próximo do Largo da Porta de Carros, em frente à Igreja dos Congregados restando então apenas uma parte da muralha que servia de parede lateral à cerca do Convento de São Bento da Avé-Maria.

Esta importante artéria do centro da cidade do Porto foi profundamente marcada por um perfil comercial relacionado com a proximidade da Estação de São Bento, tendo historicamente cumprido um papel, hoje ultrapassado, de grande importância para o abastecimento das áreas rurais do Minho e Douro, nomeadamente em sementes, equipamentos para a lavoura, santos, balanças, rolhas

 

A abertura da rua Mouzinho da Silveira para ligação das zonas alta e baixa da cidade (criando um novo eixo para a distribuição do tráfego e circulação das mercadorias) foi financiada pela Imposição do Vinho em 1872. É a rua que liga a Estação de S. Bento à zona da Ribeira, presentemente alvo de recuperação do casario que a ladeia e ao longo da qual se pode encontrar comércio variado. Ponto integrante do percurso Rota Urbana do Vinho.



Turismo em Portugal

Explora restaurantes museus hoteis e muito mais em Portugal