Martim Branco é uma aldeia que se esqueceu do tempo no Xisto

Martim Branco é uma aldeia que se esqueceu do tempo no Xisto

A aldeia ficou ali, ao lado da ribeira, a ver as pessoas a partir. E assim ficou durante de muitos anos, até que, há alguns anos, despertou dessa dormência. Por detrás das casas da última rua, a ribeira de Almaceda faz cantar as águas e os rouxinóis. Lá fora, o forno comunitário ainda exala o cheiro do pão acabado de cozer. Os fornos são os elementos mais interessantes em Martim Branco. Basta provar o pão para perceber porquê.

Num terreno de variados relevos, ora altos ora baixos, ora estreitos ora largos, ora arredondados ora bicudos, é neste tipo de paisagem, ora agreste ora meiga, ora nua ora arborizada, onde os matos a custo desabrocham, "que vive Martim Branco". Esteios de xisto erguem-se nos quintais. Antes dividiam propriedades, agora unificam a identidade da aldeia. Algumas casas testemunham raro casamento do xisto com granito, união de materiais que garante a qualidade e a perenidade dos imóveis. As portas ostentam belas e vistosas ferragens.

A Aldeia de tão pequena que nos parece, imagina-se parada no tempo, entre penedias de xisto e de quartzo, onde todas as casas e construções são modestas mas de uma genuinidade que o tempo não destruiu. Em Martim Branco há sempre um recanto que nos encanta.

 

Martim Branco é uma aldeia de pequena dimensão situada entre penedias de xisto e de quartzo, que não possui qualquer património construído do tipo religioso ou cultural. A aldeia desenvolve-se a partir de duas vias longitudinais - a Rua Principal e a Rua da Bica - apresentando uma configuração longitudinal. A Rua da Bica - que corre paralela e mais próxima à Ribeira de Almaceda - afigura-se como a rua primitiva do povoado, quer pelo seu traçado quer pelas construções que a ladeiam.

Apresenta-se como um aglomerado rural onde construções destinadas a habitação, palheiros, fornos comunitários e açudes, se destacam pela sua arquitetura de traçado modesto e com uma particularidade interessante: o facto de nos materiais utilizados predominar, sem adulterações na maioria dos casos, o xisto e a taipa. O material de construção predominante é o xisto, embora algumas fachadas de edifícios estejam rebocadas e pintadas. Também aqui as fachadas incorporam calhaus rolados de cores claras.







O que visitar e conhecer em Portugal

Os 18 melhores sitios para ver e visitar em Lagos

Os 18 melhores sitios para ver e visitar em Lagos

Praia da Dona AnaA praia da Dona Ana uma das mais famosas na rea. tambm um lugar popular para mergulho sem botija, tem um aceso at praia do pinho atravs da arriba. Embora esta praia seja bastante isolada possvel encontrar um pequeno parque de estacionamento, casas de banho e um restaurante nas suas imediaes.Praia da LuzEnvolta entre...
As 15 melhores coisas para fazer e visitar em Lagoa

As 15 melhores coisas para fazer e visitar em Lagoa

Praia da Angrinha Ferragudo, Lagoa AlgarveA Praia da Angrinha situa-se em pleno estuário do Rio Arade, aos pés de Ferragudo, concelho de Lagoa. O principal acesso ao areal está alinhado com a abertura dos grandes molhes do Arade, avistando-se junto ao molhe Poente, já na marina de Portimão, uma profusão de...
O que fazer em Santarém os 15 melhores lugares para visitar

O que fazer em Santarém os 15 melhores lugares para visitar

Ermida de Nossa Senhora da Conceio (Tomar)A Ermida de Nossa Senhora da Conceição situa-se em Tomar, na freguesia de São João Baptista, no cimo de uma pequena elevação próxima do morro do Castelo e do Convento de Cristo. Este templo, um dos mais puros exemplares do estilo renascença em Portug...
Os 7 melhores locais para visitar na Costa da Caparica

Os 7 melhores locais para visitar na Costa da Caparica

Praia da Mata Costa da CaparicaA Praia da Mata possui um areal muito extenso e amplo que compreende ainda a metade Sul da frente de mar do Camping Piedense. Encontra-se inserida na unidade geográfica das Terras da Costa Sul. Tem um sistema dunar ao longo de todo o seu comprimento.Este é o local das paragens n&uacut...