Região de Lisboa congrega seis dos 15 concelhos portugueses com maior poder de compra do país, sendo que apenas quatro dos 18 municípios da região estão abaixo da média nacional, indicam dados do Instituto Nacional de Estatística (INE).



 A bonita cidade do Funchal, sede de concelho e capital do Arquipélago da Madeira, encontra-se situada na maravilhosa Ilha da Madeira, constituindo o maior pólo turístico, cultural, artístico e político do arquipélago. Pleno de história, cosmopolitismo, cultura e uma fantástica vida própria, o Funchal tem muito para ver e admirar, começando pelos núcleos históricos das suas freguesias, como os de São Pedro, de Santa Maria ou da Sé, que convidam a agradáveis passeios.

 



Alcochete (índice 115.29)

Inserido na Reserva Natural do Estuário do Tejo e localizado na margem sul do rio, Alcochete é uma pacata Vila, que tem tido um crescimento urbanístico acentuado, dado a sua proximidade a Lisboa, paralelamente à facilidade de acessos à capital. Não perdendo a traça das casas típicas, encontramos ruas de povo de trabalho, dedicado à pesca e agricultura. As salinas são a sua grande fonte de riqueza, tal como a ligação à criação de cavalos e gado bravo. 
 

Matosinhos (índice 120.95)

A Cidade de Matosinhos encosta ao Porto e é famosa pelos seus restaurantes onde encontra o peixe e o marisco sempre muito fresco a preços convidativos. Terra de pescadores, hoje Matosinhos é uma cidade em grande desenvolvimento com o seu Porto de Leixões a contribuir fortemente para o crescimento desta região, agora com o novo Terminal de Cruzeiros a dar mais um impulso no sector do turismo.
Aveiro (índice 123.5)

A cidade de Aveiro é capital de Distrito, situa-se na região centro, tem cerca de 60 mil habitantes, é também sede de município, com uma área de 199 quilómetros quadrados e 73 626 habitantes, distribuídos por 14 freguesias. A elevação de Aveiro a cidade, verifica-se em 1759, no reinado de D. José I. Aveiro, devido à situação geográfica, junto à Ria de Aveiro, com exploração das salinas, a pesca e o comércio marítimo, fixou a população nesta zona e já existia antes da formação da nacionalidade, vindo a ser elevada a vila, no século XIII, mas o primeiro foral atribuído à vila, data de 1515, no reinado de D. Manuel. 

Cascais (índice 125.59)

Situado entre o Oceano Atlântico e a Serra de Sintra, o concelho de Cascais foi, desde sempre um importante centro turístico, tendo recebido durante e depois da II Guerra Mundial um elevado número de refugiados e exilados, de entre os quais se destacam os Condes de Barcelona, o Rei Humberto II de Itália, Carol II da Roménia e inúmeras figuras do panorama desportivo e cultural. Na segunda metade do século XII Cascais era uma pequena aldeia de pescadores e lavradores e daí parece derivar o topónimo Cascais, plural de cascal (monte de cascas), o que se deve relacionar com a abundância de moluscos marinhos aí existentes.

 

Sines (índice 128.03)

Sines tem tido um crescimento visível ao longo dos anos, sendo um importante complexo portuário-industrial. A vasta oferta turística também tem contribuído para o seu crescimento. Situada na costa e inserida no Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, a cidade de Sines atrai imensos visitantes principalmente no Verão.

 

São João da Madeira (índice 130.12)

São João da Madeira ocupa um lugar de destaque no mapa empresarial português. Conhecida em particular pela sua forte indústria do calçado – sendo detentora da marca “Capital do Calçado” – , a cidade caracteriza-se por uma grande diversidade empresarial, exportando produtos de qualidade para os quatro cantos do mundo, fruto do dinamismo e capacidade inovadora de todos quantos vivem e trabalham na única freguesia do concelho.

Coimbra (índice 130.32)

Coimbra, cidade sede de concelho e distrito, e principal cidade do Centro de Portugal, é uma das mais históricas localidades do País, dona de um património riquíssima, banhada pelo notável rio Mondego. A presença humana nesta região abençoada pela natureza, com a mais valia de um Mondego navegável, vem de tempos remotos, tendo sido ocupada pelos Celtas, e culturalmente transformada pelos Romanos. Visigodos, entre 586 e 640 deixaram igualmente a sua marca, passando para o domínio Muçulmano em 711

 Faro (índice 132.31)

Faro enquanto capital algarvia é o ponto de chegada e partida da grande maioria dos visitantes. Sede do Concelho, capital de Distrito, tem uma dinâmica que não se rege pela sazonalidade típica do Verão ou Inverno. Um grande centro de comércio, hotelaria, restauração, escolas, transportes, todo um conjunto de infra-estruturas que lhe conferem uma vida singular. Dado o acentuado crescimento demográfico podemos inclusivé dividir Faro em duas partes distintas, uma zona antiga que nos conta toda uma tradição de pesca e gentes que viviam do mar e uma mais recente, caracterizada por grandes espaços novos de habitação e recreio que surgiram para dar resposta a todo um crescimento populacional.

Porto (índice 169.85)

O Porto é um dos destinos turísticos mais antigos da Europa e a riqueza do seu património artístico, o Vinho do Porto, os vastos espaços dedicados ao lazer e a sua vida cultural são apenas alguns dos motivos que convidam a visitar a cidade. Ao longo do rio e do mar a cidade desdobra-se em paisagens encantadoras, esplanadas convidativas e o prazer do ar livre, que os espaços verdes complementam. Mas descobrir o Porto é ir ao encontro de muitas surpresas. Mantendo o seu carácter hospitaleiro e conservador, a cidade é, também, contemporânea e criativa, e de tudo isto dão testemunho as ruas, a arquitectura, os museus, os espaços de lazer, as esplanadas e as zonas comerciais, das mais tradicionais a espaços modernos e exclusivos.

Oeiras (índice 180.73)

Oeiras é uma vila situada na freguesia de Oeiras e São Julião da Barra, Distrito de Lisboa, em Portugal. É sede de um pequeno município com 45,84 km² de área e 162.128 habitantes (2001), subdividido em 10 freguesias. O município é limitado a norte pelos municípios de Sintra e Amadora, a leste por Lisboa, a oeste por Cascais e a sul tem costa na zona da foz do rio Tejo, onde o estuário termina e começa o oceano Atlântico, situando-se frente a Almada. A sua elevação a vila foi a 7 de Junho de 1759 através de Carta Régia por D. José I. Muito embora as origens do povoado datem do século XII (1147), foi neste reinado que Oeiras conheceu grande desenvolvimento, com a atribuição ao Marquês de Pombal do título de Conde de Oeiras.

Lisboa (índice 207.91)

Lisboa ergue-se nas suas 7 colinas sobre o rio Tejo, banhada por uma luz única. Capital de Portugal desde a sua conquista aos Mouros em 1147, Lisboa é uma cidade lendária com mais de 20 séculos de história e o mais importante pólo turístico do País. Dos edifícios pombalinos da Baixa, com fachadas de azulejos, às estreitas ruas medievais dos Bairros típicos de Alfama e do Bairro Alto, onde à noite se pode ouvir o fado e usufruir de um divertida vida nocturna, aos inúmeros museus e lojas, Lisboa é uma cidade com várias opções.

Lisboa (1.º lugar), Oeiras (2.º), notam os dados mais recentes do INE referentes ao poder de compra concelhio