Roteiro da cidade do Porto. Nas encostas acima do estuário do Douro, o Porto é uma cidade mercantil histórica com negócios e comércio escritos em seu próprio nome. O centro é Patrimônio da Humanidade, e ficará impressionado com o quão rica e variada essa herança pode ser: há muralhas medievais, igrejas barrocas reluzentes, as ruas compactas do bairro da Ribeira, a catedral românica e isso é apenas o começo.

O vinho do Porto fortificado ainda está armazenado em armazéns na margem sul do Douro e, se seguir o rio até ao oceano, chega ao elegante bairro da Foz do Douro, onde encontrará praias e restaurantes modernos.

1. Cais da Ribeira

Um pouco caótico e divertido de explorar, a zona ribeirinha do Porto é uma praça muito pitoresca onde os turistas e os habitantes locais se misturam.

Há bares e restaurantes em cada esquina, e estes também se alinham na calçada ribeirinha.

Terá uma foto perfeita da icônica Ponte Luís I daqui e, se passar pelas arcadas, há um labirinto confuso de ruas íngremes e escadas entre casas pintadas em tons pastel em diferentes estados de reparação.

O Cais da Ribeira foi reduzido um pouco nos últimos anos e foram instalados painéis de informação para falar sobre os personagens e empresas deste distrito quando se tratava de uma colmeia comercial do Porto.

 

2. Museu e Vila de Serralves

No oeste do Porto existem vários elementos para Serralves que fazem um grande dia fora.

Primeiro, há a vila, Casa de Serralves, uma graciosa propriedade Art Deco construída entre 1925 e 1944 e com designers como Charles Siclis e René Lalique recrutados para criar os interiores.

A moradia tem vista para jardins suntuosos com avenidas arborizadas, topiaries, gramados e pérgulas arregimentadas.

Depois, do outro lado do parque, está o Museu de Arte Contemporânea, inaugurado em 1999 para exposições temporárias de alto nível.

Normalmente há quatro ou cinco ao mesmo tempo para os atuais e antigos luminares da arte moderna e contemporânea, de Joan Miró a Liam Gillick.

 

3. Ponte Luís I

Um símbolo industrial para o Porto, esta ponte arqueada em metal de dois níveis foi inaugurada em 1886. Foi concebida pelo engenheiro alemão Théophile Seyrig que co-fundou a Companhia Eiffel.

A ponte atravessa as margens íngremes e rochosas do Douro e sobe para quase 45 metros.

Há uma vista aérea do Cais da Ribeira a partir do nível superior, que também é utilizado pela linha férrea do Porto.

Depois disso, poderia embarcar no Funicular dos Guindais para descer à beira da água.

E se ainda não viu o suficiente, atravessar no convés inferior para pedestres e tráfego rodoviário local.

 

4. Igreja de São Francisco

 

O último monumento gótico no Porto é esta igreja concluída em 1425. Passeie pela abside para ponderar as longas janelas com lancetas e depois volte para a fachada principal, onde um portal ornamentado é coberto por uma linda janela rosa.

Os interiores foram redecorados de 1500 a 1700 e têm alguns dos trabalhos de madeira dourada mais luxuosa que poderia esperar para ver.

As antigas abóbadas góticas, paredes e pilares são cobertos por painéis intricadamente esculpidos representando pássaros, querubins e folhagens.

5. Palácio da Bolsa

 

A antiga bolsa de valores do Porto foi construída junto à Igreja de São Francisco após os seus claustros terem sido queimados durante o Cerco do Porto em 1832. O exterior foi concluído em 1850 e tem um design neoclássico, enquanto os interiores ecléticos foram decorados até ao início do o século 20.

tem que ir para compreender a riqueza da escultura, esculturas decorativas, gesso, afrescos, lustres e azulejos.

O Salão Árabe Revival Mourisco Salão é quase esmagadora, enquanto o monumental Pátio das Nações é iluminado por um telhado de metal e vidro octogonal.

 

6. Igreja dos Clérigos

 

A torre de 75,6 metros de altura desta igreja barroca pode ser vista da maior parte do Porto e foi o edifício mais alto do país quando foi concluído.

É um monumento maravilhoso, com esculturas delicadas em todo o caminho e um relógio tão alto que precisa dar alguns passos para poder lê-lo corretamente.

Esta foi a última seção da igreja a ser concluída e data de 1763, com um design inspirado nos campanários da Toscana.

Se não se importar com a fila e os 240 degraus, será recompensado com um panorama completo da cidade a partir do topo.

 

7. Praça da Liberdade

 

Os grandes espaços abertos desta praça e avenida em Santo Ildefonso parecem um mundo longe das ruas estreitas do Cais da Ribeira.

A Praça da Liberdade foi traçada como um novo traçado urbano no século XVIII e delimitada a sul pelo Palácio das Cardosas, um palácio do século XVIII transformado em hotel.

Há uma estátua equestre de Pedro I do Brasil, lembrado como um reformador democrático.

As ruas ao redor são algumas das mais chiques da cidade, com imponentes edifícios cívicos, butiques de grife e o Belle Époque Majestic Café na Rua Santa Catarina.

 

8. Casa da Música

A Casa da Música é um espaço de concerto que foi inaugurado em 2005. Um arquitecto holandês, Rem Koolhaas, supervisionou o design, juntamente com empresas de cenografia e acústica de alta tecnologia.

Este é um dos raros locais de música que também vale a pena ver quando ninguém está tocando.

Pode ir para uma turnê do local de 1.300 lugares, que arrancou o livro de regras sobre o design do auditório e tem duas paredes compostas inteiramente de vidro.

Em alguns dias poderá ouvir a orquestra ensaiando, e se isso estimular seu apetite pela alta cultura,  pode se vestir à noite para ouvir solistas famosos e a Orquestra Sinfônica do Porto.

 

9. Foz do Douro

 

ara explodir, as teias de aranha fazem da Foz do Douro, um bairro da moda onde o Douro entra no Oceano.

Há um longo passeio com palmeiras e pinheiros e uma pérgola que  pode reconhecer se esteve em Nice.

A Pergola da Foz foi instalada na década de 1930, quando a esposa do prefeito se apaixonou pela da Promenade des Anglais.

O farol Farol Molhe do Douro, por sua vez, guiou embarcações dentro e fora do Douro por 120 anos antes de ser desativado em 2009. Novos restaurantes modernos aparecem neste trimestre por semana, e quando o sol está se pondo não pode pedir por um mais pano de fundo romântico para passear

 

10. Catedral do Porto

 

Este edifício de aparência severa chama os tiros da parte mais antiga do Porto.

Chegará no Terreiro da Sé, uma esplanada que permite fazer um levantamento dos telhados e monumentos da cidade, como a Torre da Igreja dos Clérigos.

Apesar de passar por muitas mudanças ao longo do tempo, a catedral manteve grandes peças de sua arquitetura original do século XII.

Quando foi construído, teria um papel defensivo, como pode dizer dos contrafortes, alças de flechas e ameias.

No interior há uma estreita nave e coro românico, conduzindo-o em direção à abside, que ganhou um opulento projeto de estilo barroco no século XVII.

 

11. Praias

 

Com toda a sua atenção atraída para o Douro e para a Ribeira, poderá negligenciar as praias do Porto.

Em um dia quente,  pode mergulhar os dedos no atlântico vivo e limpar seus sentidos na brisa.

Se  quiser incluir algumas das praias mais distantes a poucos minutos da cidade,  tem pelo menos 10 para escolher, muitas das quais voam a Bandeira Azul todos os anos.

O mais conveniente é Matosinhos, logo depois do Parque da Cidade e com uma enorme baía que parece sem limites quando a maré está baixa.

Se gosta de viajar um pouco, não descarte a cidade de Miramar, que tem uma bonita capela do século XVII nas rochas, entre suas enormes praias de areia dourada.

12. Muralha Fernandina

Há um comprimento da muralha do século 14 do Porto logo acima da Ponte Luís I e corre quase paralela ao funicular.

E apesar de pertencer ao Patrimônio Mundial, é uma atração pouco valorizada pelos turistas.

Pode entrar em ameias no Largo 1. de Dezembro, e na entrada do muro é cercado por um pequeno jardim lindo com laranjeiras.

Enquanto caminha, os sinais da UNESCO dão-lhe um pouco de fundo no Porto medieval.

Mas o melhor de tudo, a vista do Douro aqui é imbatível.

13. Jardins do Palácio de Cristal

Este foi o local do Palácio de Cristal do Porto, que durou de 1865 a 1961 e foi inspirado no monumento de Londres.

Estes jardins foram concebidos para complementar esse palácio e foram ajardinados pelo alemão Émile David.

Seu design ainda está no lugar, e há fontes e esculturas alegóricas para as estações.

Os jardins são plantados com gingko, pinheiros, camélias, rododendros e faias, e seu caminho pode ser atravessado por um pavão ou dois.

No centro do parque, o antigo palácio foi substituído pelo semi-esférico Pavilhão Rosa Mota, que já recebeu exposições no passado, mas aguarda renovação.

 

14. Igreja de Santa Clara

Construída ao lado da secção mais proeminente das muralhas medievais do Porto, esta igreja foi concluída em 1457 para substituir um convento medieval.

Tem uma história semelhante a outros edifícios religiosos da cidade, passando por uma atualização extravagante na primeira metade do século XVIII.

Brilhando contra o mármore vermelho são molduras douradas nas abóbadas e esculturas de madeira dourada nas paredes com detalhes tão meticulosos que é difícil absorver tudo.

Em Portugal, este estilo é conhecido como “Barroco Joanino”, proveniente do reinado de João V, quando o Império Português estava no auge da sua prosperidade.

15. Parque da Cidade

 

O Parque da Cidade é o maior parque urbano de Portugal, espalhando-se por 83 hectares e indo tão a oeste como o Forte de São Francisco Xavier do século XVII junto ao Atlântico.

Depois de horas ziguezagueando pela multidão, se precisar de um lugar para passear ou andar de bicicleta, venha para estes bosques de pinheiros e gramados abundantes.

Um motivo em todo o parque são pilhas de pedras de granito retangulares que parecem fundações antigas.

Também usa o Parque da Cidade como um desvio verde a caminho da Praia do Matosinhos.

16. Museu Nacional Soares dos Reis

Este museu foi fundado em 1833 como uma exposição de arte religiosa confiscada de conventos portugueses.

Muitas dessas peças ainda estão em exibição, enquanto grande parte da arte anterior foi tirada dos seguidores do rei Miguel I deposto. Tem o nome de António Soares dos Reis, um escultor do século XIX de Vila Nova de Gaia, na margem sul da cidade. o Douro.

Existem aqui algumas peças de Soares dos Reis, assim como outros ilustres pintores e escultores portugueses como Silva Porto, Vieira Portuense, Domingos Sequeira e Miguel Ângelo Lupi.

 

17. Museu Romântico da Quinta da Macieirinha

Com uma localização maravilhosa em Massarelos, ao lado dos jardins do Palácio de Cristal e com vista para o Douro, esta mansão do século XVIII foi o lar de uma sucessão de famílias nobres.

Seu residente mais venerado foi Charles Albert da Sardenha, que passou os últimos meses de sua vida no exílio aqui em 1849. A casa foi mantida como um museu para abrir uma janela sobre a vida nobre do século XIX.

Essa atração foi inaugurada em 1972, e o tataraneto de Charles Albert foi chamado para ajudar a cidade a escolher móveis e decoração para torná-la o mais autêntica possível.

18. Viagem pelo rio Douro

O Douro viajou quase 900 quilómetros da sua nascente em Castela e Leão para chegar ao Atlântico no Porto.

E a maioria das pessoas que passam algum tempo ao lado do Douro concordam que há algo de especial no rio.

Em torno da Ribeira, cruzeiros de uma hora são oferecidos por cerca de € 15, e seu guia lhe dará algumas dicas sobre os armazéns portuários na margem sul, os marcos do Porto que se elevam na margem norte e nas várias pontes.

Rio acima, no limite leste da cidade, está a ponte Maria Pia, dez anos mais velha que o Luís I e construída por Gustave Eiffel.

19. Vinho do Porto

Seria muito fácil, mas provavelmente não seria uma boa ideia, não fazer nada além de beber cervejas portuárias e de turismo no Porto.

Estes estão localizados na margem sul do Douro em Vila Nova de Gaia.

Uns poucos, como a Real Companhia Velha, a Caves Sandeman e a Taylors Port, têm histórias que remontam a centenas de anos e contam com museus que documentam a sua história.

Quanto ao vinho, torna-se fortificado pela adição de aguardente, que interrompe a fermentação e ajuda a manter o seu sabor doce.

De lá, é armazenado em barris de carvalho para qualquer coisa entre dois anos e quatro décadas, dependendo do estilo.




Turismo em Portugal

Explora restaurantes museus hoteis e muito mais em Portugal