Custa 4 euros, é português e um dos melhores vinhos brancos

Em vésperas de lançar o vinho homólogo, da colheita de 2017, a duriense Lavradores de Feitoria viu o seu Lavradores de Feitoria branco 2016 ser enaltecido como um “branco português perfeito”. Quem o diz – ou melhor, escreve – é David Williams, na rubrica “Wines of the Week”, recentemente publicada no jornal britânico The Guardian

 

O jornal britânico na sua rubrica “Wines of the Week“ apelidou as referências portuguesas como “perfeitas”. Uma delas é o Lavradores de Feitoria Branco 2016, do Douro, que se encontra à venda por 4€.




Portugal é um país vínico conhecido pelos “tintos clássicos” do Douro e pelo Vinho do Porto, que há muito dispensa apresentações. Ainda assim, foram os brancos que surpreenderam David Williams, autor da rubrica “Wines of the week“, publicada semanalmente no jornal britânico The Guardian. No seu mais recente artigo, Williams destaca os “brancos portugueses perfeitos” e apresenta “três grandes referências” para que o leitor (e enófilo) comece a descoberta de copo na mão.









Cheda: uma marca de 2004 renovada em 2017

A marca Cheda nasceu em 2004, com um tinto, e esteve no mercado até 2010. Em 2014 foi relançada com uma nova imagem e quatro vinhos: branco, rosé, tinto e Reserva tinto. Em 2016, foi a vez do lançamento do ‘Cheda Reserva branco’. O ano de 2017 assinala a renovação do perfil dos vinhos e a chegada de uma nova referência, o monocasta de Riesling. A marca ‘Cheda’ reflecte um casamento entre o clássico e o moderno: o nome e a imagem reportam ao início da produção de vinho, mas com um produto bastante actual e ao gosto de um consumidor descomplicado. São vinhos que não chegam aos hipers e supermercados (Moderna Distribuição), mas que “alimentam” a restauração e as garrafeiras.

 

Notas de prova: Cor: Citrina limão


Nariz: Bastante frutado, tem uma boa densidade aromática com fruta madura como ameixa e melão, e notas tropicais a banana
Boca: A entrada é fresca, frutada e elegante. Harmonioso, apresenta uma acidez equilibrada, com uma fruta viva e intensa, e alguma mineralidade. Excelente contraste entre frescura e tropicalidade

  • Custa 4 euros, é português e um dos melhores vinhos brancos

PRINCIPAIS ACTIVIDADES EM: Portugal